Dez ótimos filmes para refletirmos sobre Gestão e Carreira

Esta é a minha lista de filmes para instigar discussões úteis no ambiente corporativo. Não espere encontrar aqui os grandes blockbusters (A rede social, Jobs, A firma). Aqui trago filmes com maior grau de reflexão, porém, nem tão famosos. Posso ter deixado algo importante de lado, mas aqui vocês encontrarão material cinematográfico de primeira e envolvendo temas da mais alta relevância para o mundo dos negócios, fruto de uma incessante garimpagem. Como cultivo muito essa aliança da sétima arte com o Management, deixou-os à vontade para comentar que outros filmes poderiam abrilhantar esta lista.

  1. O que você faria? (El método, Espanha, 2005)

Direção de Marcelo Piñeyro

Começando por onde se entra nas empresas, o temível Recrutamento. Este é o famoso filme do “método Grönholm’. A luta desenfreada de sete candidatos por uma vaga. Um pouco fantasioso é claro, mas é bom não desprezar a criatividade dos recrutadores hoje em dia.

2. Em boa companhia (In Good company, EUA, 2004)

Com Dennis Quaid e Scarlet Johansson. Direção de Paul Weitz.

Um dos melhores da lista, porque quase que inteiramente filmado em ambiente corporativo,e para quem está em algum processo de fusão, imperdível. Para quem está longe disso, concentre-se na cena em que o novo CEO dá um discurso para lá de vazio aos funcionários e recebe um petardo impagável na forma de uma pergunta de um dos funcionários “adquiridos”. (Dennis Quaid, ótimo). E a resposta do CEO é outra coisa que não está no gibi.

3. Com o dinheiro dos outros (Other people’s Money, EUA, 1991)

Direção Norwan Jewison, com Danny de Vito e Gregory Peck

O filme com a visão do acionista em uma ação de “take-over hostil”. Memorável a cena da assembleia, onde se enfrentam as duas visões de mundo que o filme coloca em confronto: os “abutres de wall street” e os que fazem negócio por absoluta paixão e desprendimento. Se não me engano, também tem uma cena impagável onde Danny demonstra o básico do economês para os antigos donos do negócio em um quadro negro.

4. As confissões de Schmidt (About Schmidt, EUA, 2002)

Direção de Alexander Payne, com Jack Nicholson

O Diretor do aclamado Nebraska, entre outros grandes filmes (Os descendentes , Sideways) já mostrava em 2002 o que sabia fazer com muita veemência. O drama do despreparo para a aposentadoria em um filme tocante, que aborda ainda relações familiares de um jeito muito peculiar. Jack Nicholson extraordinário, com sua cara de frustrado permanente.

5. O sucesso a qualquer preço (Glendgarry Glen Ross, EUA, 1992)

Dirigido por James Foley com roteiro do grande David Mammet.

Al Pacino em grande performance, unido a grande elenco (Jack Lemmon, Alec Baldwin, Ed Harris, Kevin Spacey). A rotina de um grupo de vendedores é perturbada pela introdução de

uma competição entre eles. O melhor vendedor leva um bônus, o pior….é despedido. A regra do “Neutron Jack” explorada ao extremo.

6. Sobre aquele que nada fazia e um dia fez (Brasil, 2003)

Este é um curta gaúcho de 2003, vencedor de uma série ótima da RBS TV. Uma metáfora interessante sobre a futilidade de hoje nas empresas. A personagem principal, Ary, descobre que sua promoção está em risco pela chegada de um competidor mais jovem. Ary apela então para o “extraordinário”, quer “mudar” e vai em busca de uma opção que o deixe “moderno”. Dura cerca de 15 minutos e pode ser visto online. Humor refinado.

7. A corporação (The Corporation, Canadá, 2003)

Um documentário bomba, que questiona as corporações e seu papel na sociedade moderna. Imperdível, nem que seja para você contestar a visão do filme, muito para lá da terceira via em relação às externalidades causadas pelas empresas na sociedade. Uma visão ácida das corporações.

8. Sociedade dos poetas mortos (Dead poets society, EUA, 1989)

Direção de Peter Weir, com Robin William e os jovens Robert Sean Leonard e Ethan Hawke. Imperdível pela alta dosagem de inovação e criatividade que o Professor Keating (Williams, em um de seus melhores papéis) injeta nos jovens embrutecidos pelas amarras rígidas do código social vigente. Um filme com potencial de transformar qualquer um. Se você for jovem veja imediatamente, se você for mais crescidinho, veja também. Sempre é tempo.

9. Tucker (Tucker, EUA, 1988)

Direção de Francis Ford Coppola, com Jeff Bridges

A inovação, o espírito criativo, os erros, tudo sobre este processo fascinante na vida de Tucker, o homem que queria revolucionar o automóvel. A inovação vista por dentro.

10. A questão humana (La question humaine, França, 2007)

Direção de Nicolas Klotz, com Mathieu Amalric

E se na empresa em que você trabalhasse eclodisse uma crise ética de altas proporções? O filme vai até o fim na busca das respostas. Profundo, reflexivo, europeu até a espinha.

Boa sessão, ou sessões!

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s