Vai um arzinho aí, patrão?

Existem semáforos que não servem para organizar o trânsito, eles apenas regulam onde você vai continuar parado, se antes ou depois dele. Nestes grandes nós da Urbe-mor, lá estão eles. Os ambulantes, que perambulam lépidos e faceiros por entre os carros, estes verdadeiros imóveis que fumegam, com seus pacotes e mais pacotes daquele chocolate aerado. Eles não têm nenhum outro, só este, o dos inúmeros furinhos de ar. Repito, nenhum outro. Esteja você parado onde estiver, eles só te proporão aquele. O da embalagem vermelha. E eu fico me perguntando por que esta preferência, qual a razão deste monopólio? Por que desprezam tanto os motoristas que anseiam por um outro, digamos, um mais crocante? Ou um outro que amoleça menos rápido? Ou ainda um com recheio de castanhas, passas, o que seja? Não, só te oferecem o do recheio de arzinho.

E é barato, mais barato que no mercado, mais barato que no armazém da esquina, mais barato que em promoção de site de desconto coletivo, mais barato que em qualquer outro lugar. Por que será? Será mais fácil de transportar, sendo mais leve, tendo ar?

Será falso? Terá ar de segunda injetado nele? Ou pior ainda, conterá algum tipo de gás venenoso, letal? Estariam fora do prazo de validade? Derretendo? Provavelmente não, já teriam descoberto a fábrica clandestina há muito tempo. Ninguém pode produzir tanto chocolate impunemente. Seria um ato estratégico de desova da fábrica oficial? Uma tentativa desesperada de livrar-se de um choco-abacaxi? Provavelmente não, o tal furadinho também vende bem nos supermercados, nos botecos e em farmácias. Adicionalmente, quanto mais sobem as commodities, o açúcar, o cacau e etc, melhor vender ar. Aprendi que a densidade do tal areado pode ser a metade da de um chocolate sem furos. Portanto, não há lógica econômica na questão. Mas alguma lógica deve haver, embora eu não consiga encontrá-la.

Só de pirraça, nunca compro o tal do arzinho, nem no semáforo, nem no mercado, embora morra de vontade.

Até o sinal abrir para mim, daria para devorar uns dois.

Advertisements

One thought on “Vai um arzinho aí, patrão?”

  1. Talvez queiram nos dizer isso mesmo, ali nas escondidas, por de traz de um chocolate de ar, que no final das contas somos mesmice, vazios, tanto faz como tanto fez, sempre foi assim e assim será. Triste isso hein? 🙂

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s