Vou te contar…

Pois agora me ocorre este pensamento complicado, perturbador. Como sob uma teopsia, deixei-o entrar. E agora é tão extenuante ficar pensando este pensamento, que o melhor a fazer é narrá-lo logo, expulsá-lo daqui, colocá-lo aqui, no preto, para que tudo se alivie, e eu possa voltar a pensar sem medo. Quisera poder expurgá-lo assim, sem mais nem menos. Mas como pô-lo aqui, indolor, leve, e ainda minimamente compreensível, para que todos entendam, ou pelo menos, minimamente, visualizem o que eu quero dizer com ele? Se ele é assim tão escapante, tão saltitante, priscante, retirante, ecbólico? Não sei, na verdade não sei como traduzir este pensamento oblíquo, obtuso, ofegante. No começo ele vem assim questionador, inquisidor e matador, mas logo se volta em si mesmo e, curvado assim, se corrompe, se rompe, se esvai, me trai. Torna complicado descrevê-lo, eu me perco nas voltas, volteios e surrupios. Nem mesmo o acho. Às vezes penso que ele está ali no córtex, mas logo o vejo saindo para o hipocampo, para o pré-límbico, ou outra parte qualquer. Puxar algo do pré-límbico é duro demais. Há pouco fiz algumas sinapses a mais e o vi saindo pelo lado do cerebelo, talvez tenha ido para trás do hipotálamo, ou ainda do miliocefalo. Ficou ali como envolto em súber. Só resgatando-o com um exercito de entoptoscópios, talvez. Falar nisso, preciso renovar minha hoploteca. Percebem como ele é complicado? Metê-lo aqui nestas linhas é ato cada vez mais impossível e inexeqüível. Faço um esforço adicional da minha memória, todo o pré-lombar no uso pleno de seus recursos disponíveis, pois já fechei todas as outras janelas, mas ele segue escapando, rastejando como um réptil astuto e asqueroso. Não há como faze-lo parar, só parando de pensar, mas aí se paro não o tenho mais para transcrever, me entendem? Óbvio, não? Isto não é um experimento de Schroedinger. Se bem que poderia ser, assim o teria e não teria, e ao não tê-lo, teria mais condições de limpar a mente para pegá-lo. Mas ele muda e remuda.

Bem, lá se vai ele de novo, desta vez para os confins da massa, na entranhas mesmo desta nuvem oca. Lá onde ninguém o pegará, nem se eu sonhar com ele. Escapou de vez! Lamento não ter podido coloca-lo aqui. Ele era ótimo. Tirando sua complexidade, era bárbaro, instigante, revolucionário. Não estou touteando. Teria sido muito bom compartilhar com vocês. Bem, na próxima vez, prometo pensar algo menos titubeante, evasivo. Ele se foi, assim, de repente, nicles, já não está.

Nicles: nada
Súber: tecido impenetrável de células mortas
Toutear: dizer bobagens
Ecbólico: com propriedade de expelir, abortivo
Teopsia: aparecimento súbito de uma dividande
Priscante: que salta para os lados
Miliocefalo: saliência da íris, atrás da córnea
Entoptocóspios: aparelhos para observação do interior do olho
Remudar: mudar novamente
Hoploteca: lugar onde se guardam armas

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s