Alice no País das Maravilhas (1): Tim Burton e os desafios do livro de Carroll

Um dos grandes baratos do livro de Lewis Carroll é a possibilidade de lê-lo metaforicamente. Explico: Alice no país das maravilhas pode ser um mero livro de aventuras infantil, mas também pode ter mensagens subreptícias sobre muitas coisas. Ainda será preciso esperar 25 de Abril para ver como o gênio criativo de Tim Burton lidou com as muitas passagens que permitem várias leituras, mas como o filme tem a chancela da marca Disney, não podemos esperar muita ousadia. Porém, quem já teve oportunidade de ver o trailer sabe que muita inovação estará presente na telona.

Uma das passagens mais emblemáticas do livro está logo no começo, a cena da queda no poço. Alice cai, e, entre outras pérolas, Carroll põe na boca dela expressões como: “Depois de uma queda dessas, não vou achar nada demais levar um tombo escada abaixo“. A queda no poço é cheia de significados. É a símbolo de ruptura, de transição, de passagem para outro estado. E durante a queda, Alice vê, entre outras coisas, mapas e livros na parede. Outro símbolo, que representa viagem, aprendizado, conhecimento. Alice pensa em tudo enquanto caia, e o autor abusa da narrativa para nos transmitir a sensação de como a queda é demorada…..Alice pensa que está atravessando a Terra inteira, pensa que vai emergir na China, ou na Austrália. E acaba mesmo em um mundo muito estranho….ou em uma outra fase de sua vida?

E aí, Tim?

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s